1. Ir para a escola de não-carro é muito mais fixe!

agenda actividade 1 A
1. Três propósitos da Estratégia Nacional de Educação Ambiental (ENEA 2020) aos quais esta actividade pretende dar o seu contributo: 

1. Incentivar a mobilidade sustentável – encontrar alternativa à utilização do transporte individual motorizado;
2. Promover uma lógica de partilha – menos consumidora e menos desperdiçadora;
3. Contribuir para a descarbonização profunda da sociedade até 2050.

O QUE É ISTO?

agenda act 1Promover e criar entre a comunidade escolar outras formas de mobilidade nos percursos quotidianos casa-escola-casa: a pé, de bicicleta ou em carro partilhado (boleias).

Nos últimos anos assistimos a muitas mudanças de paradigma na nossa sociedade: a forma como nos deslocamos é uma dessas mudanças. Em poucas gerações, quase todas
as crianças e jovens passaram a ser transportados de carro nas suas deslocações diárias. E que consequências isso traz? – Perda da autonomia, redução do exercício-físico e do prazer de brincar na ida para escola, maior utilização de recursos (de combustível, de tempo e de dinheiro do adulto que os transporta), menor qualidade do ar em redor da escola, em suma … menor qualidade de vida.

MÃOS À OBRA?

1. Preferencialmente num formulário online, inventariar quem, de onde e de que forma os alunos e restantes membros da comunidade escolar se deslocam para a escola. Tentar ainda perceber se estariam dispostos a adotar meios de transporte mais sustentáveis;
2. Mapear as deslocações atuais (via google maps);
3. Interpretar a informação recolhida e produzir novos materiais atualizados (mapas, gráficos, etc.) que permitam aferir as intenções de mudança, que poderão surgir, mais tarde, alterações efetivas de comportamento (ex: pessoas que pretendem passar a andar a pé, de bicicleta ou em deslocações partilhadas – quem são, quantos são, que distâncias são percorridas, etc.);acti 1
4. Dinamização de um movimento para discussão de alternativas ao transporte em carro individual: promover boleias partilhadas; instalar estacionadores de bicicleta dentro da escola; sugerir às entidades algumas medidas que facilitem as deslocações a pé e de bicicleta (alterações na sinalética, instalar mais/repintar/sobre-elevar passadeiras, criar mais ciclovias); pedir às autoridades, PSP ou GNR, maior acompanhamento e vigilância;
5. Após algumas medidas, avaliar o impacto das mesmas através de novos inquéritos e comparar com a situação inicial.

legenda

PARA SABER MAIS:
Essencial: Ler Francesco Tonnuci e o seu incontornável livro La Ciudad de los Niños | Projeto Papa Léguas/ | Camino Escolar  | Zona 30 | A road safety technical package (Organização Mundial de Saúde) | Guíade Implementación Proyectos de Caminos Escolares-Bilbau | Referencial de Educação Rodoviária.

Para ter acesso à agenda | Para voltar ao início da agenda 
agenda capa

Última actualização: 11/9/2018